img_comunidade_emerito_interna1_amp_8493_edited.jpg

MEMORIAL
RENATO G. G. TERZI

"Todos nós seguimos caminhos diferentes na vida, mas não importa aonde vamos, nós levamos um pouco um do outro em todos os lugares”

Autor desconhecido

 
Bilhete Houssay.jpg

RENATO G. G. TERZI

★ 26/04/1937
† 16/11/2020

Este memorial é uma celebração à vida de Renato Giuseppe Giovanni Terzi.

Filho, pai, irmão, sobrinho, cunhado, genro, sogro, tio, avô sempre presente, prestativo e disponível.

Casou-se com Sylvia, minha mãe, com quem viveu até o seu falecimento em 2013.

Os seus três filhos, Cristina, Renato e Eduardo tiveram o privilégio de um pai parceiro, incentivador e carinhoso.

Seus netos Pedro, Giovanna, Camilla, Bruno, Marianna e Giuseppe conviveram com um avô muito animado, disposto a todas as brincadeiras e que organizava o “Natal no meio do ano” quando toda a família se reunia.

O genro Marcelo, as noras Flávia, Milena e agora a Bibi, também tiveram a oportunidade de conviver e compartilhar suas conquistas com ele.

Atualmente estava apaixonado e vivendo com a Nilde, que foi sua companheira de muitos momentos de diversão, viagens e que agora nos deu uma nova família.

Participava de todos os encontros de família, e na maioria era o organizador, animador e chef de cozinha.


Na sua vida estudantil e profissional  dedicou-se apaixonadamente pela medicina, graduando -se em Medicina pela USP em 1960. Fez residência em Cirurgia Geral no Bronx-Lebanon Hospital Center de N. York (1962-1966) e em Cirurgia Torácica e Cardiovascular na Universidade da Carolina do Norte, Chapel Hill, de 1967-1968. Fez doutorado em Cirurgia pela Unicamp em 1973 e pós-doutorado pela Universidade de Harvard, no Massachusetts General Hospital de Boston de 1981 a 1982. 

Criou o Instituto Terzius em 2007, quando aposentou-se compulsóriamente da Unicamp, onde trabalhou até os seus últimos dias de vida.

Sempre me dizia: “Veja como somos felizes, fazemos o que gostamos e ainda ganhamos por isso”.

Sua voz alta, italiana era ouvida antes mesmo de entrar na UTI. E logo se podia ouvir: Bom dia!

Outras palavras para quem teve o prazer de conviver com ele era “Maravilha!” E esta foi uma de  suas últimas palavras.

Ao seu lado nos últimos dias eu perguntava: Tudo bem pai? E ele: Sim. Maravilha! E assim se despediu elegantemente de um mundo onde deixou o legado de pensar sempre á frente de seu tempo, de que precisamos nos manter ativos,  fazendo o bem ao próximo.  


Agradeço o privilégio de ter tido um pai, amigo, companheiro de viagens, professor, colega de plantão, coautor de capitulo de livros  e um ótimo parceiro quando ministrávamos aula em dupla!


Deixa muita saudade...


Cristina Terzi

 

Agradecimento

Gratidão a todos os que estão contribuindo de alguma forma para construção deste memorial, com palavras de agradecimento, histórias,...

 

DEIXE SUA MENSAGEM

Obrigado pelo envio!